domingo, 30 de novembro de 2008

Pensamentos soltos






Às vezes nos perguntamos o porquê de tudo.



Da verdade, da realidade, do viver...



Tudo o que vejo deixa explicito que se formos pra frente;



coisas ficam para trás a gente só nunca sabe que coisas são essas...
Vejo que a razão é como uma equação de matemática...



Tira a pratica de sermos



um pouco mais de nós...

sábado, 29 de novembro de 2008

Perdida



Já não sei o que fazer


Tentei te esquecer


De Repente estou sozinho,


mas...


Pensando em você


Olho tudo em minha volta


Mais parece obsessão


Você não sai do pensamento, nem do coração


Eu preciso de você junto a mim


Vem ficar comigo, não me faz sofrer assim,


não consigo viver


Tudo aqui me lembra você


E eu já não consigo esquecer


Nossos sonhos, nosso mundo


Nossa vida, nosso amor...


Porque aconteceu assim?
Mas será que alguma vez houve nós
Pra você...


Que vontade de tocar


Teu corpo e te beijar


lembranças de um grande amor


Que tão pouco durou


Eu preciso....


Esquecer-te...


E já esqueci...


Meu coração não é digno de sofrimento


Nem tão pouco de você...


Dissipando palavras








E tão mais fácil dissipar
Uma dor recitando-a em
Papeis, pois só assim poderemos.
Junta-las aos rascunhos da
Vida para que fiquem apenas
Numa lembrança distante, assim
Como os porta-retratos

Viveremos uma vida de amor
À sabedoria e à poesia, não
Como os intelectuais, mas como
Os românticos dando asas
A imaginação...

Palavras sinceras




Tão vencida pelo tempo e suas respostas,
Que já não me encontro aqui.
Numa longa caminhada em
Busca de um lar; o consolo só.
Vem posposta a dor.
E ainda assim, após de ter visto.
Tudo isso, ainda me deixo enganar.
Por esse triste luar; noite.
Mórbida esta; que faz presente.
Em mim o “amor”.
Um rio flui no vazio do meu
Interior, você levou a maior parte de mim.
E ainda sim, após de ter à
Tudo presenciado, e ainda sim,
Após roubadas todas as forças,
Espero ter na primavera a cura
De todas as magoas...

Pobre Coração



Tenho um coração solitário...
Magoado pelo tempo e pelo amor!
Um pobre coração que muito apanhou...
Apanhou da vida, e perdeu...
Apanhou do tempo, e perdeu...
Apanhou das ilusões, e perdeu...
Uma única luta meu pobre coração
Não ganhou...
Mas de todas as lutas, ele sobreviveu...
Menos a luta do amor!
Coração, pobre que se apaixonou,
Apaixona-se, logo por quem nunca poderá te amar...
Pobre iludido... Acha que apenas por rimar
Com palavras lindas, um dia poderá ser amado.
Acha que porque rima com...
Paixão...
Emoção...
Sem razão...
Pode ser amado...
Mas se esquece que ele rima também com as mais doces e tristes palavras que se pode ouvir...
Solidão...
Incompaixão...
Razão...
Incompreensão...
Hoje não mais choras, pois não mais tem lagrimas...
Hoje não mais respiras, pois não mais tem ar!
Hoje não mais... Hoje... Não mais!
Coração iludido.






Ainda sim... te amarei!









Ainda, que tudo se acabasse no mundo...
Meu amor, por ti viveria...
Ainda, que meu coração parasse de bater...
Ele te amaria.
Ainda, que os ventos me levassem pra longe de te...
Esses mesmos ventos levariam todos os meus pensamentos e desejos à você...
E esses mesmos ventos eu dominaria para que me fizessem deleitar-me em teus braços novamente....